top of page

Serra da Capivara- um mergulho no fundo do mar pré-histórico!

A serra da capivara nos faz mergulhar no fundo do mar pré-histórico, nos faz conhecer e tentar desvendar o sistema de comunicação dos nossos ancestrais através dos muitos desenhos pintados nas rochas.  Esse paraíso arqueológico a céu aberto além de ser um dos maiores orgulhos do Brasil é patrimônio cultural da humanidade, a Serra da Capivara é o maior tesouro arqueológico do nosso continente.

E como dizia Luiz Gonzaga: “na terra onde o Sol brilha mais, não existem dois iguais, só conheço o do meu Piauí”. E é lá no calor do sertão, no sul do Piauí, entre os paredões gigantescos e a imensidão da caatinga, revelados em paisagens inéditas através de um conjunto de formações rochosas surpreendentes com mais de 380 milhões de anos que está localizado o Parque nacional da Capivara. Descrever a magia desse lugar é quase impossível, pois é na aridez do sertão, no meio da caatinga onde só os fortes sobrevivem, que podemos ficar tão próximos dos segredos e enigmas que permeiam a nossa história.

A minha experiência na Serra da Capivara com a Expedição Sertões:

Dormimos na pousada da cerâmica da Serra da Capivara, uma pousada simples mas muito aconchegante. Fomos recebidos com um jantarzinho delicioso, assim como o café da manhã. Logo em seguida partimos para fazermos nosso primeiro passeio na Serra da Capivara.

Após subirmos por ladeiras bastante íngremes, onde foi necessário utilizar os recursos de tração dos carros, chegamos ao alto de um dos afloramentos rochosos que representam toda uma história geológica da região, formando uma belíssima paisagem, um verdadeiro santuário de épocas pré-históricas. Um local para contemplação e para ter noção da imensidão do local.

Já era perto da hora do almoço quando voltamos para a pousada da cerâmica e aproveitamos para conhecer o processo de fabricação das cerâmicas que por sinal, são revendidas em lojas como a Tok&Stok e, claro que gastamos alguns dinheiros na lojinha que vende as peças a preços bem acessíveis e ainda entregam para qualquer cidade do Brasil.

Na parte da tarde saímos em direção ao platô da Serra Vermelha, num caminho de puro offroad.  Ao chegar lá, deixamos os carros estacionados e fomos em direção as escadas para podermos ter acesso a um local que havia sido utilizado como abrigo pelos homens pré-históricos. No teto desse local há muitas pinturas e como não é possível saber o real significado dos desenhos, a gente acaba se divertindo imaginando o que poderiam estar querendo deixar registrado. Momento de trabalhar a criatividade.

Aproveitamos que já estávamos lá em cima e ficamos para ver o pôr de sol desse platô. Como visual um cânion espetacular, coberto de uma vegetação que ia de uma mata com árvores altas (áreas de transição) à caatinga, bioma de domínio na região e que se encontra em sua fase de “metamorfose”, onde as folhas todas caem preparando as árvores para enfrentar o período de seca. Após o sol dar tchau, seguimos para visitar nossa última atração do dia e a principal do parque: o Boqueirão da Pedra Furada. E o mais legal é que essa foi uma visita noturna.

Ao chegarmos no local, imensos refletores foram ligados e aos poucos se descortinaram enormes formações rochosas entre a vegetação. Percorremos uma pequena trilha por áreas de escavação e a cada passo adentrávamos para um gigantesco paredão de mais de 400m de altura, de formato côncavo sobre nossas cabeças e, na sua base podíamos observar inúmeras pinturas rupestres iluminadas, um espetáculo indescritível!!!!

O Parque Nacional da Serra da Capivara foi criado em junho de 1971 e tombado pelo IPHAN em 1991. Existem vários municípios que ficam nas imediações do Parque, mas a cidade base para visitar o Parque Nacional da Serra da Capivara é São Raimundo Nonato por conta da infraestrutura mais completa. Vale ressaltar que o parque está a 380 km de Petrolina (via Afrânio) ou 510 km de Teresina.

Σχόλια


bottom of page