top of page

Missão Salvador x Jalapão x Salvador em cinco dias.

Quando soube que os “meninos” do Triton4x4club estavam iniciando a missão de rodar 6 mil quilômetros em 13 dias e pediram uma ajudinha minha para montar o roteiro da expedição, já que eles iam passar por lugares que amo, topei na hora. Mas não bastando a minha ajuda com o mapa, me “pediram” Cowboy emprestado para guiá-los no Jalapão rsrsr, e daí veio a minha participação “in loco” na aventura. Como sempre a surpresa: Cowboy: Lu, temos uma missão! Eu: O que foi agora? Cowboy: É simples! Na próxima segunda vamos sair daqui de Salvador para encontrar os meninos da Expedição Triton4x4Club ali no Jalapão e guiá-los nas trilhas por lá. Vai ser rapidinho, vamos na segunda e voltamos na sexta. Você vai comigo! Eu: É sério? Vamos, né?! Vamossss, tava doida por isso!!!

A Missão Salvador x Jalapão: E assim lá fomos nós em mais uma aventura. Saímos de Salvador na Segunda e rodamos cerca de 960 quilômetros direto, dormimos Luis Eduardo Magalhães e, na terça pela manhã já estávamos em Natividade, uma das cidades portais para os atrativos turísticos do Jalapão. Encontramos com os três aventureiros da Expedição Itamotors e Triton 4×4: Rogério, Julio e Felps. E lá fomos nós nessa missão quase impossível- conhecer algumas das belezas desse local em 2 dias.

O Jalapão: Para quem não conhece, o Jalapão abrange cinco áreas de conservação ambiental, incluindo um Parque Estadual no Tocantins. Da minha lista de paisagens lindas, ele é um dos favoritos. Apesar de lindo e exuberante, existe um grau de dificuldade grande para quem resolve ir por conta própria, já que a maioria das estradas não é asfaltada, com solo arenoso, poucas placas de sinalização e muitas vezes as estradas se misturam com as plantações da região, podendo fazer você rodar por horas e não chegar a lugar nenhum. É um acesso bem louco mesmo e como já fiz esse roteiro várias vezes, já não nos perdemos mais. Mas para quem quiser ir sem risco de se perder, existem agências na região que oferecem pacotes bem legais saindo de Palmas, com traslado, hospedagem em campings e passeios – https://www.korubo.com.br/

A Missão quase impossível: Começamos o nosso roteiro pela lagoa do Japonês, localizada no município de Pindorama. Com água azul cristalina, o local é ideal para mergulhar e ficar boiando só contemplando o cenário encantador por horas. E assim fizemos, apesar do pouco tempo que tínhamos. Saindo de lá corremos para pegar o pôr do sol na Pedra Furada. A Pedra Furada fica próxima à cidade de Ponte Alta. Posso assegurar para vocês que é um pôr do sol inesquecível. As formações de blocos de arenitos lembram arcos em forma de portais, proporcionando uma vista linda para florestas da região e para os morros da Cruz e Morro Solto. Vimos o Pôr do sol da estrada, mas mesmo assim resolvemos ir até lá contemplar as estrelas e já aproveitamos para tomar um vinho e fazer um churrasquinho. Um luxo!!!

Após a farra no meio do paraíso, seguimos para pernoitar em Ponte Alta. Esse é um dos lugares ideais para uma parada de abastecimento já que possui posto de gasolina, pousadinhas e mercadinhos. Nela está localizado o Cânion Sussuapara, com águas cristalinas que descem por fendas entre paredões com cerca 12 metros de altura, passeio que fizemos no caminho seguindo para Mateiros. E nesse mesmo percurso visitamos também a maior cachoeira do Jalapão- Cachoeira da Velha. Com 20 metros de queda e cem metros de largura, existem vários mirantes para admirá-la, o banho só é possível na prainha do rio da velha (rio novo). É um visual impagável! Após visitar a Velha e a prainha, foi a vez de fechar o passeio com chave de ouro, fomos para as Dunas do Jalapão.

Aquele momento que ficamos a espera dos camelos no deserto… pois essa é a sensação. Se de um lado temos a luz solar refletindo nas areias e promovendo vários tons de dourado, do outro o azul das águas dos rios contrastam com o verde da vegetação típica da região, com um toque especial dos buritizais que beiram as nascentes. Na manhã do dia seguinte visitamos a cachoeira da formiga e os fervedouros da Ceiça e dos Buritis. Tá bom pra você? Pra mim sempre fica um gostinho de quero mais, mas os meninos tinham que seguir viagem e nós tínhamos que voltar para Salvador. E assim fizemos… Do Tocantins seguimos para Barreiras e de lá para salvador. E a missão quase impossível, foi finalizada com sucesso. Mas não parou por aí, os meninos seguiram para completar o trajeto deles e nos encontramos em Salvador com outra missão… no próximo texto eu conto!

Yorumlar


bottom of page